27 de jun de 2014

Sintaxe IV

Concordância Verbal
Na concordância verbal, o verbo é o termo que deverá apresentar as flexões em relação ao sujeito. Assim, podemos dizer que o verbo se subordina ao sujeito, pois é ele o termo determinante das flexões do verbo.

REGRA GERAL - O verbo concorda com o sujeito em número e pessoa:
Tu conheces Pedro?
Nós estamos muito felizes.

CASOS ESPECIAIS

I. SUJEITO SIMPLES 

O sujeito é o pronome relativo QUEM - o verbo concorda com o antecedente ou/na 3ª pessoa do singular:
És tu quem serás premiado.
És tu quem será premiado.

O sujeito é o pronome relativo QUE - o verbo concorda com o antecedente:
Fomos nós que fizemos a pesquisa.

O sujeito é o pronome relativo QUE precedido de UM DOS - o verbo fica no singular ou no plural:
Ela é uma das que mais estuda (ou estudam).

O sujeito é um pronome indefinido no plural seguido por DE (ou DENTRE) NÓS (ou VÓS) - o verbo concorda com o pronome pessoal ou vai para a 3ª pessoa do plural:
Apenas algumas dentre nós conhecemos ( ou conhecem) a verdade.
Muitos de vós recebereis (ou receberão) elogios.

O sujeito é um pronome interrogativo no plural seguido por DE (ou DENTRE) NÓS (ou VÓS) - como no caso anterior, o verbo concorda com o pronome pessoal ou vai para a 3ª pessoa do plural:
Quais de vós sois (ou são) culpados?
Não sei quantos dentre nós continuaremos (ou continuarão) aqui.

O sujeito é CADA UM seguido por palavra no plural - o verbo fica na 3ª pessoa do singular:
Cada um dos alunos receberá um diploma.

O sujeito é NENHUM seguido por palavra no plural - o verbo fica na 3ª pessoa do singular:
Nenhuma das meninas trouxe o trabalho?

O sujeito é um coletivo - a concordância é feita de três maneiras:

a) o verbo fica na 3ª pessoa do singular se o sujeito coletivo estiver junto do sujeito: Uma banda tocava para nós.
b) o verbo fica na 3ª pessoa do singular ou do plural se o sujeito coletivo não estiver junto do sujeito: A banda tocou por muito tempo; eram dez horas quando retirou-se (ou retiraram-se).
c) o verbo fica na 3ª pessoa do singular ou do plural se o sujeito coletivo estiver acompanhado de palavra no plural: Uma banda de meninas alegrou (ou alegraram) a festa.

O sujeito é uma expressão de tratamento - o verbo fica na 3ª pessoa do singular:
Vossa Excelência tem razão.

O sujeito é plural aparente (plural na forma e singular no sentido) - o verbo fica na 3ª pessoa do singular:
Dois é um numeral ordinal.

O sujeito é plural não determinado ou é precedido de artigo no singular:
Ilhéus é uma cidade da Bahia.
O Corinthians é um time de São Paulo.

O sujeito é uma expressão partitiva seguida de palavra no plural - o verbo vai para a 3ª pessoa do plural:

O sujeito é indeterminado - a concordância é feita de duas maneiras:

a) o verbo fica na 3ª pessoa do singular se a indeterminação é indicada pelo pronome SE: Precisa-se de uma secretária.
b) o verbo vai para a 3ª pessoa do plural se a indeterminação não é indicada pelo pronome SE: Tocaram a campainha.

Voz passiva sintética - o verbo concorda com o sujeito, que será sempre expresso:
Procura-se casa.
Procuram-se casas.

O sujeito é precedido pelas expressões MAIS DE, MENOS DE - o verbo concorda com a palavra que acompanha a expressão:
Mais de uma aluna chegou atrasada.
Menos de dois alunos chegaram atrasados.

O sujeito é representado por número percentual - a concordância é feita de três maneiras:

a) o verbo concorda com a palavra que acompanha o número:
Dez por cento da safra ficou no depósito.
b) o verbo concorda com o número quando ele está posposto:
Ficaram no depósito dez por cento da safra.
Dez por cento dos livros foram vendidos.
c) o verbo vai para o plural se o número estiver determinado por artigo ou pronome:
Os dez por cento da safra foram vendidos.
Estes dez por cento da safra foram vendidos.

II. SUJEITO COMPOSTO

O sujeito está posposto ao verbo - o verbo concorda com o sujeito mais próximo ou vai para a 3ª pessoa do plural:
Partiram (ou partiu) Pedro e Paulo.

O sujeito é formado por pessoas gramaticais diferentes - o verbo vai para o plural, respeitando-se a prioridade que a 1ª pessoa tem sobre a 2ª e a 2ª pessoa tem sobre a 3ª:
Tu e eu estamos felizes.
Tu e ele sois bondosos.

Observação - quando o sujeito é formado por 2ª e 3ª pessoas, é considerado correto colocar o verbo na 3ª pessoa do plural, pois o sujeito equivale a "vocês":
Tu e ele são bondosos.

O sujeito tem elementos ligados pela conjunção "ou" - a concordância é feita de duas maneiras:
a) o verbo concorda com o sujeito mais próximo quando existe ideia de exclusão:
João ou Pedro casará com você.
b) o verbo vai para o plural quando existe ideia de adição ou alternância:
Filhotes de cães ou de gatos são lindos.
Quadros ou livros serão distribuídos aos alunos.

O sujeito tem elemento ligados pela conjunção "nem" - o verbo fica no singular, concordando com o sujeito mais próximo; ou vai para o plural, respeitando-se a prioridade da 1ª pessoa sobre a 2ª e da 2ª pessoa sobre a 3ª:
Nem ele nem ela sabe a resposta.
Nem eu nem ele conhecemos a verdade.
Nem tu nem ele ireis à festa.
Nem ele nem ela serão premiados.

Observação - como no caso anterior, quando o sujeito é formado por 2ª e 3ª pessoas, equivalendo a "vocês", pode-se colocar o verbo na 3ª pessoa do plural:
Nem tu nem ele irão à festa.

O sujeito tem elementos ligados pela preposição "com" - a concordância é feita de duas maneiras:
a) o verbo fica no singular quando se quer enfatizar o primeiro sujeito:
Marta com sua irmã veio de Minas.
b) o verbo vai para o plural quando a preposição tem o valor da preposição "e":
Marta com sua irmã vieram de Minas.

O verbo indica reciprocidade de ação - vai para o plural:
Os irmãos abraçaram-se com carinho.

O sujeito é uma das expressões "um e outro", "nem um nem outro" - o verbo fica no singular ou no plural:
Um e outro chegou (ou chegaram) agora.
Nem uma nem outra aluna disse (ou disseram) nada.

Os sujeitos estão ligados por uma das expressões comparativas "como", "assim como", "bem como", "do mesmo modo que" - o verbo concorda com o primeiro sujeito:
Teu primo, como todos nósdeseja a tua felicidade.
Ela, do mesmo modo que Pedroveio do sul.

Há, junto do sujeito composto, a palavra "exceto" ou a palavra "menos" - o verbo concorda com o primeiro sujeito:
Toda a turma, exceto Joséfoi à excursão.
Todos os alunos, menos Joséforam à excursão.

O pronome indefinido "cada" precede os núcleos dos sujeitos - o verbo fica no singular:
Cada flor, cada fruto receberá o calor do sol.

O sujeito tem seus elementos resumidos por um pronome indefinido - o verbo fica no singular:
Pedro, Paulo, José, ninguém chegou ainda.

O sujeito composto é ligado por conectivos correlatos - o verbo vai para o plural:
Não só ele, mas também seu irmão são dentistas.
Tanto Pedro como Paulo foram aprovados.

O sujeito é formado por núcleos sinônimos - o verbo fica no singular:
Feliz e ditoso é este homem.

O sujeito possui elementos em gradação (progressão ascendente ou descendente) - o verbo concorda com o elemento mais próximo:
Um dia, uma semana, um mês havia passado.

O sujeito é formado por infinitivos - o verbo fica no singular:
Cantar e dançar alegra a vida.

Observação - quando os infinitivos estão determinados ou são antônimos, o verbo vai para o plural:
O cantar e o dançar alegram a vida.
Ir e vir fazem da parte da nossa rotina.

III. CONCORDÂNCIA ESPECIAL DE ALGUNS VERBOS

I. VERBO SER

1. o sujeito e o predicativo têm número diferente - a concordância é feita de duas maneiras:

a) o verbo concorda com o termo que está no plural:
Tudo são flores.
Vocês são o futuro.
b) o verbo fica no singular se o sujeito é pessoa:
Pedro é as esperanças da família.

2. o sujeito ou o predicativo é pronome pessoal - o verbo concorda com o pronome:
Tuas alegrias somos nós.

3. o sujeito e o predicativo são pronomes pessoais - o verbo concorda com o sujeito:
Tu não és ela.

4. a oração inicia com um dos pronomes interrogativos "quem" ou "que" - o verbo concorda com o sujeito (que é o pronome) e o interrogativo será predicativo:
Quem és tu?
Que são eles?

5. o sujeito é um dos pronomes neutros "tudo", "isto", "isso", "aquilo" - o verbo com o predicativo:
Isso são só promessas.

6. o sujeito é uma expressão de sentido coletivo - o verbo concorda com o predicativo:
A maior parte são objetos sem valor.
O resto são conjecturas.

7. o sujeito indica preço, medida, peso ou quantidade - o verbo fica no singular:
Vinte reais é bastante?
Dois metros será o bastante.
Quatro quilos é muito.
Seis anos não é tempo demais?

8. o verbo é impessoal - a concordância é feita de três maneiras:

a) fica no singular quando indica fenômeno meteorológico:
É cedo.
b) concorda com o predicativo quando indica datas:
É primeiro de junho.
São dois de setembro.

Observação - quando existe a palavra "dia", o verbo fica sempre no singular:
Hoje é dia dois de setembro.

c) concorda com o predicativo quando indica horas:
É uma hora.
São duas horas.

II. VERBOS SOAR, BATER e DAR

1. Quando indicam horas, esses três verbos (e seus sinônimos) concordam com o número de horas:
As seis horas soaram.
Bateu uma hora.
Deram quatro horas.

Observação - quando existe sujeito (o relógio, o sino, etc.), o verbo concorda com ele:
O relógio deu quatro horas.
O sino bateu nove horas.

III. VERBO HAVER

1. é pessoal:

a) quando significa "ter", "obter" ou "entender-se":
Embora ele houvesse muitos amigos, vivia só.
O pai desconhecia onde ele houvera tanto dinheiro.
Ele vai se haver conosco.
b) quando é auxiliar em tempos compostos:
Havemos de vencer.

2. é impessoal:
a) quando é empregado com o sentido de existir:
Havia crianças no jardim.
Observação - o verbo "existir" não é impessoal:

Existiam crianças no jardim.
b) quando é empregado com o sentido de "acontecer":
Espero que não haja nenhum desentendimento.

Atenção - quando é impessoal, o verbo "haver", sendo parte de uma locução, transmite sua impessoalidade ao verbo auxiliar: Deve haver meninos na escola.


IV. VERBO FAZER

É verbo impessoal em dois casos:
1. quando se refere a fenômenos meteorológicos:
Fez um lindo dia.
2. quando indica tempo decorrido:
Faz dois anos que moro aqui.

Atenção - quando é impessoal, o verbo "fazer", sendo parte de uma locução, transmite sua impessoalidade ao verbo auxiliar: Vai fazer quatro meses que compramos o carro.


V. VERBO PARECER
1. quando é seguido de verbo no infinitivo, flexiona-se um ou outro:
As crianças pareciam brincar.

As crianças parecia brincarem.
2. quando é seguido de verbo no infinitivo pronominal, fica sempre na 3ª pessoa do singular (porém flexiona-se o verbo pronominal):
Os alunos parece queixarem-se.
Eu e Pedro parecia entendermo-nos.
VEJA TAMBÉM:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

http://static.tumblr.com/xpo2exu/BA1n2ccke/cred.png