26 de jun de 2014

Sintaxe I

Frase, Oração e Período 

FRASE
É todo e qualquer enunciado, do mais simples ao mais complexo, com sentido completo. A frase pode ser:

1. nominal - a que não possui verbo: 
Socorro!
Que linda noite de verão!

2.verbal - a que possui verbo:
Ajudem-no!
A noite está linda!


ORAÇÃO
É o enunciado organizado em torno de um verbo. A principal característica da oração não é o sentido completo (ainda que possa ter), mas sim o verbo:
Ele estuda muito.(Uma oração)
Ele quer que sejamos felizes.(Duas orações)

PERÍODO
É todo e qualquer enunciado de sentido completo, terminado por pausa gráfica forte e possuindo pelo menos uma oração. O período pode ser:

1. simples - o que só possui uma oração:
Sentíamos o perfume das flores.

2. composto - o que possui mais de uma oração:
Alguns cantavam e outros dançavam.
Quando ela chegounão nos disse se tivera êxito.

O período pode ser composto:

a) por coordenação - quando as orações são independentes:
O diretor chegoudeu algumas ordenssaiu em seguida.
Choveuporém continua quente.

b) por subordinação - quando as orações estão subordinadas a uma principal:
Chame aquele menino que está brincando.
Não sabemos se ele virá.

TERMOS DA ORAÇÃO

SUJEITO - É o ser (pessoa, animal ou coisa) sobre o qual se faz uma declaração:
Ele está escrevendo cartas.

Núcleo do Sujeito - O núcleo do sujeito é a palavra à qual está ligada a declaração contida no predicado:
Aquela casa branca foi vendida.

Classificação do Sujeito

1. SIMPLES - o que possui apenas um núcleo:
Minha irmã foi ao mercado.
Vocês conhecem meu pai?

2. DESINENCIAL, OCULTO ou ELÍPTICO - o que é determinado pela desinência verbal:
És um bom amigo. (= Tu).
Iremos à praia. ( = Nós).

3. COMPOSTO - o que possui mais de um núcleo:
Pedro Paulo chegaram agora.
livro, o caderno, a caneta e a régua estão naquela gaveta.

4. INDETERMINADO - o que não pode ou não se quer determinar. O verbo pode estar:

a) na 3ª pessoa do plural - equivalente a eles, sem informação a respeito da pessoa:
Quebraram a vidraça.

Observação - na frase "Ela e o irmão saíram cedo; só voltarão à noite", embora o verbo da segunda oração esteja na 3ª pessoa do plural e o sujeito não esteja expresso, sabemos qual é o sujeito, pois o pronome eles nos remete a Ela e o irmão, sujeito da 1ª oração; trata-se apenas de um sujeito desinencial.

b) na 3ª pessoa do singular (intransitivo, transitivo indireto ou de ligação) com o pronome SE , que será índice de indeterminação do sujeito:
Vive-se bem aqui.
Precisa-se de operários.
Observação - se o verbo for transitivo direto é voz passiva, tem sujeito (simples ou composto) e é preciso fazer concordância.

5. ORAÇÃO SEM SUJEITO ou INEXISTENTE - quando a oração é uma simples anunciação de um fenômeno, é a informação da ocorrência ou existência de algo ou apenas a indicação de tempo, quantidade ou distância. Nesse caso, a estruturação expressiva centra-se em verbo considerado impessoal.
Desta forma, os verbos são considerados impessoais e, por conseguinte, a oração não tem sujeito:

a) verbos que indicam fenômenos da natureza: Anoiteceu...

Observação: caso o verbo indicador de fenômeno meteorológico seja empregado conotativamente, a oração passará a ter sujeito normalmente.
A cidade anoitecia aos poucos (sujeito: a cidade).

b) verbo haver quando sinônimo de existir ou acontecer, ou ainda indicando tempo:
Havia pessoas no jardim...
Ele partiu  dois anos.

Observação: o verbo existir não é impessoal: Existe um lustre na sala. / Existem lustres na sala.

c) ser indicando hora, data, quantidade ou distância (único caso de oração sem sujeito em que o verbo pode ficar na 3ª pessoa do plural): 
É uma hora. / São duas horas.
É primeiro de outubro. / São vinte de dezembro.
Daqui até lá é um quilômetro. / São muitos quilômetros.

d) serestarficar, continuar, fazer, ir, passar, etc. indicando fenômeno da natureza ou tempo decorrido:
É primavera.
Estava tão quente!
Fez frio. / Fez dois anos que ele partiu.
Vai para cinco anos que nos conhecemos.
Já passa de um ano que trabalho lá.

e) verbos chegar bastar seguidos da preposição de indicando ordem ou comando:
Chega de tanta conversa.
Basta de reclamações.

Observação: na locução verbal o auxiliar assume a flexão do verbo principal; sendo impessoal, a locução será impessoal, pois a pessoalidade ou impessoalidade é determinada por ele:
Existem tantas pessoas bondosas! / Devem existir tantas pessoas bondosas! (Verbo pessoal)
 muitos meninos na praça. / Deve haver muitos meninos na praça. (Verbo impessoal)



6. PREDICADO - É a declaração que se faz sobre o ser:
Alguns garotos gostam de nadar.

Observação - nas orações com sujeito desinencial, indeterminado ou inexistente (oração sem sujeito), a oração é formada apenas pelo predicado:
Estou cansado.
Gritaram lá fora.
Havia fila diante do cinema.

Predicação Verbal 
Quanto à predicação o verbo pode ser: intransitivo, transitivo ou de ligação.

1. INTRANSITIVO
É intransitivo o verbo que tem sentido completo, não precisando, portanto, de complemento verbal (objeto). São intransitivos: chorar/ dormir/ entrar/ voar, etc.
Ex.: O bebê dormiu.

2. TRANSITIVO
É transitivo o verbo que não tem sentido completo e por isso precisa de um complemento verbal (objeto). O verbo transitivo divide-se em diretoindireto e direto e indireto:

a)direto - é o verbo que se liga a seu complemento (objeto direto) sem o auxílio de preposição. São transitivos diretos: abrir/ amar/ comprar/ ver, etc.
Ex.: O menino contava as balas.

b)indireto - é o verbo que se liga a seu complemento (objeto indireto) com o auxílio de preposição. São transitivos indiretos: acreditar/ concordar/ confiar/ crer/ precisar, etc.
Ex.: Cremos em Deus.

c) direto e indireto - é o verbo que precisa de dois complementos, um sem preposição (objeto direto) e o outro com preposição (objeto indireto). São transitivos diretos e indiretos: atear/ contar (= narrar)/ dar/ preferir, etc.
Ex.: Conte uma história às crianças.

3. DE LIGAÇÃO
É o verbo cuja função é apenas ligar o sujeito a um estado, qualidade ou atributo. É claro que haverá sempre, na oração um nome que representará o estado, a qualidade, ou o atributo. Esse termo chama-se predicativo.
Ela é feliz.
Ela é generosa.
Ela é minha irmã.
São verbos de ligação: andar/ continuar/ estar/ ficar/ parecer/ permanecer/ ser/ tornar-se
Lembre-se de que o verbo só é de ligação se estiver acompanhado de predicativo (estado, qualidade ou atributo), caso contrário não terá a função de ligar o sujeito ao predicativo. Será
então classificado como intransitivo:
Ela continua contente (de ligação).
Ela continua na escola (intransitivo).

Classificação do Predicado - O predicado pode ser verbal, nominal ou verbo-nominal:

1. verbal - é aquele que tem como núcleo um verbo (intransitivo ou transitivo):
Maria brincava no parque no parque. (Intransitivo)
Vocês já comeram o bolo? (Transitivo direto)
Acredito em você. (Transitivo indireto)
Entregue o embrulho a teu tio. (Transitivo direto e indireto)

2. nominal - é aquele que tem verbo de ligação e cujo núcleo é um nome, que se chama predicativo:
Elas são enfermeiras.

3. verbo-nominal - é aquele que tem dois núcleos: um verbo (intransitivo ou transitivo) e um nome (predicativo):
Ele chegou febril.
Compramos a casa felizes.
Preciso de você otimista.
Os pais emprestaram o carro a Pedro preocupados o carro a Pedro preocupados.

PREDICATIVO - Predicativo é o termo que indica estado, qualidade ou atributo:
Ele viajou resfriado.
Ele tornou-se culto.
Ele é vendedor.

Classificação do Predicativo

1. predicativo do sujeito - é o que se refere ao sujeito:
Minha prima está satisfeita.(Minha prima é sujeito).

2. predicativo do objeto - é o que se refere ao objeto (direto ou indireto):
Encontrei minha prima satisfeita. (Minha prima é objeto direto).
Gosto de minha prima satisfeita. (Minha prima é objeto indireto).

VEJA TAMBÉM:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

http://static.tumblr.com/xpo2exu/BA1n2ccke/cred.png